Notícias de Oeiras no Mural da Vila

Numero
Colônia do Piaui

Justiça Federal condena prefeito de Colônia do Piauí por crime cometido quando era secretário

Condenação atinge também a ex-prefeita Conceição Carneiro.

25 de Outubro de 2016 às 09h03 Imprimir

Atualizada em 27/10/2016 às 12h08

 O Ministério Público Federal no Piauí (MPF/PI) obteve na 3ª Vara da Justiça Federal a condenação da ex-prefeita de Colônia do Piauí, Conceição de Maria Soares Portela Carneiro, do ex-tesoureiro, Selindo Mauro Carneiro Tapeti, atual prefeito do município, e do empresário Alcides Eduardo Veras Freitas pela prática de improbidade administrativa cometida durante o mandato.

De acordo com a ação ajuizada à época pelo procurador da República Wellington Luís de Sousa Bonfim, os ex-gestores se apropriaram, entre 19/6 a 17/10/2000, de recursos federais repassados ao Município pela Fundação Nacional de Saúde- FUNASA, através do Convênio 1126/99. Além disso, em 28/8/2002, a ex-gestora usou documentos ideologicamente falsificados, perante a FUNASA, quando da prestação de contas do citado convênio, visando alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante, qual seja o não-emprego integral dos recursos repassados no objeto, só foram efetivados 55,79% das obras. Também foi apontada como irregular a ausência de licitação para as obras contratadas, em que Alcides Eduardo Veras Freitas teria sido contratado diretamente.

O juízo da 3ª Vara Federal condenou a ex-prefeita de Colônia do Piauí, Conceição de Maria Soares Portela Carneiro e o ex-tesoureiro, Selindo Mauro Carneiro Tapeti: a) ao ressarcimento integral do dano à FUNASA, no valor atualizado de R$ 481.040,14, atualizado até setembro deste ano; b) perda da função pública para cargos políticos, inclusive em comissão; c) suspensão dos direitos políticos por 8 anos; d) ao pagamento de multa civil de R$ 481.040,14 em favor do fundo; e) proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos; f) ao pagamento de custas processuais, pro rata.

Quanto ao empresário Alcides Eduardo Veras Freitas condenou-o ao pagamento de R$ 50.000,00 a título de multa civil e ii) proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos.

O juízo também determinou a indisponibilidade de bens e bloqueio de valores até o montante do prejuízo econômico causado ao erário.

Cabe recurso contra a decisão.

Veja mais notícias sobre Colônia do Piaui.

Fonte: Com informações do MPF-PI  |  Edição: Redação Oeiras
O blogueiro e/ou correspondente deste município NÃO possui qualquer vínculo empregatício ou comissão pela postagem e/ou colaboração com o conteúdo do Mural da Vila. Portanto, todo e qualquer conteúdo (textos, imagens e vídeos) apresentados nesta página é de inteira responsabilidade civil e penal do responsável (blogueiro, correspondente ou colunista).

Comente através do Facebook
Veja também

Comentários (0)

  • Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro.

Justiça Federal condena prefeito de Colônia do Piauí por crime cometido quando era secretário Condenação atinge também a ex-prefeita Conceição Carneiro. 25 de Outubro de 2016T10/25/2016T09:03
http://www.muraldavila.com.br/imgs/logomarca-interna2.png Mural da Vila
336 255
Veja Noticias de Sua cidade:
Frigoleme Casa do Frango Posto Chico Lanches e Cia Lojas A Credinorte Eletro AcquaBox Supermercado Alternativo Lila Passe a Limpo - Gráfica rápida SID Leal Store One