Notícias de Oeiras no Mural da Vila

Numero
Política

VERGONHA: Deputados tentam anistiar alvos da Lava Jato em votação de madrugada

Os Deputados que são alvos na Lava-Jato querem se livrar da cadeia aprovando nova Lei.

20 de Setembro de 2016 às 09h59 Imprimir

Atualizada em 20/09/2016 às 10h10

 O brasileiro tem que ficar muito atento com os políticos na Câmara dos Deputados. Na noite desta segunda feira, os deputados tentaram votar de surpresa um projeto feito nos bastidores da Casa que visa abrir uma brecha para anistiar políticos que hoje são alvos da Operação Lava Jato.

O texto estabelece na legislação uma punição específica e direta para o crime de caixa dois eleitoral, que é o uso de dinheiro nas campanhas sem declaração à Justiça. Traduzindo, LIVRAR o deputado corrupto da CADEIA.

Deputados que articularam a manobra almejavam dois objetivos: conseguir a anistia por prática de caixa dois cometida até agora, com base no princípio de que lei não retroage para prejudicar o réu; e inibir a atual inclinação da força-tarefa da Lava Jato ?e do juiz federal Sérgio Moro? de tratar como corrupção pura e simples o recebimento de dinheiro que não esteja na contabilidade eleitoral.

A clara intenção da aprovação dessa lei VERGONHOSA era livrar os Deputados enquadrados por corrupção ou outro crime com pena mais severa.

O projeto entrou na pauta de votações desta segunda sem convocação explícita dos deputados para analisar o tema e sem apresentação prévia do texto.

O projeto que chegou de surpresa, preparado cuidadosamente por alguns deputados pegou muitos de surpresa. A maioria dos deputados dizia não saber o que seria votado e muitos fizeram questionamentos à Mesa. O próprio relator designado de última hora para o projeto, Aelton Freitas (PR-MG), afirmou não saber do que se tratava.

Quem presidia a sessão e colocou a votação na pauta de surpresa foi o deputado Beto Mansur (PRB-SP), que presidia a sessão e se recusou a responder aos deputados. Disse apenas que a inclusão de um projeto de última hora obedece ao regimento. Após muita pressão de deputados contrário à manobra, ele foi obrigado a encerrar a sessão.

"Pediram para que eu presidisse a sessão. Eu não sei um artigo desse projeto, uma linha. Eu estava apenas cumprindo minha função de brasileiro. Não tenho nada a ver com caixa 2, não estou envolvido na Lava Jato", afirmou Mansur. Ele se recusou a responder à pergunta sobre quem pediu a ele para tentar votar o texto.

Participaram das articulações em torno desse projeto, entre outros, deputados do PSDB e do PP, esse último o principal partido com parlamentares implicados na Lava Jato. Houve aval do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), responsável final por aquilo que é levado à votação.

Embora ele estivesse interinamente na presidência da República nesta segunda, devido à viagem de Michel Temer aos Estados Unidos, nunca um projeto desse porte iria a voto sem a sua anuência.

Rodrigo Maia afirmou à Folha de São Paulo que não participou da tentativa de votação vergonhosa desta segunda já que estava no Planalto. Mas que em resposta a consultas anteriores sobre o tema, afirmou que sempre defendeu a votação da proposta de criminalização do caixa 2 apresentada pelo Ministério Público Federal no pacote chamado de "As 10 Medidas contra a Corrupção".

Veja mais notícias sobre Política.

Fonte: Redação  |  Edição: Gisele Silva

Comente através do Facebook
Veja também

Comentários (0)

  • Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro.

Veja Noticias de Sua cidade:
Bio Spazzo Honda Direito Leal AcquaBox Passe a Limpo - Gráfica rápida Lojas A Credinorte Frigoleme Casa do Frango Paraiba Supermercado Alternativo SID Tarcila